Projetos AGROBIO

Plano de Comunicação de Agricultura Biológica – Portugal Espanha

Estratégia Nacional para o desenvolvimento da Agricultura Biológica.
Pretende-se criar uma campanha de comunicação para a promoção da Agricultura Biológica de forma a demonstrar todos os seus benefícios para a saúde e o meio ambiente.

Parceria

  • Ecovalia – Espanha
  • Agrobio – Portugal
Alimentação biológica nas cantinas escolares

Projeto EducEcoRegions

Promover a transição ecológica de territórios e comunidades por meio de formação inovadora.
  • Melhorar a qualidade da formação profissional contínua e facilitar o acesso de forma a promover e reforçar o contributo para o processo de inovação, crescimento económico e coesão social,
  • Promover aptidões e competências para pessoas que estão (ou pretendem estar) envolvidas na transição sustentável dos territórios (ou seja Eco-Regiões) e que não têm experiência e conhecimento na área.

Parcerias

Bio-Distretto Cilento – Itália

La Bergerie Nationale – França

SEAE – Espanha

Agrobio – Portugal

Alimentação biológica nas cantinas escolares

Projeto Bio-regiões: uma estratégia integrada de desenvolvimento dos territórios rurais

Criar estratégia, de âmbito nacional, de promoção do desenvolvimento integrado e sustentável dos territórios rurais baseada no modelo das Bio-regiões.
Contribui para o desenvolvimento integrado e sustentável dos territórios rurais através da disseminação do modelo das Bio-regiões, onde a agricultura e produção biológica se articulam com a promoção do território e das suas potencialidades.
Os territórios rurais enfrentam um conjunto de desafios que comprometem a sua sustentabilidade e futuro. É, por isso, crucial identificar e implementar novas formas de dinamização e inovação em meio rural.

Parceria

Centro Municipal De Cultura E Desenvolvimento De Idanha-A-Nova – Líder

Município De Idanha-A-Nova – Parceiro

Agrobio – Associação Portuguesa De Agricultura Biológica – Parceiro

Direcção Geral De Agricultura E Desenvolvimento Rural – Parceiro

Actuar – Associação Para A Cooperação E O Desenvolvimento – Parceiro

Alimentação biológica nas cantinas escolares

Projeto Alimentação Biológica em Cantinas Escolares Públicas em Parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian

Alimentação biológica nas cantinas escolares

Objetivo Geral

O projeto consiste na promoção/divulgação e fornecimento de alimentação biológica em cantinas escolares, públicas e privadas, da região de Lisboa, procurando expandir a boa experiência com várias escolas, em Lisboa.

Atualmente, a maioria das cantinas são abastecidas com alimentos de produção convencional apesar de começar a instalar-se a consciência coletiva sobre as vantagens e a necessidade de instaurar a alimentação biológica, sobretudo na população escolar.

Número de Escolas Envolvidas

10: 5 na Freguesia dos Olivais e 5 em Loures.

Período de Execução

Iniciou em Março de 2019 e irá encerrar em Dezembro de 2021.

Implementação do Projeto

Realização do Plano anual de Ementas Biológicas de acordo com as épocas de colheita dos Produtos Biológicos;

Sensibilização da população escolar para as especificidades e benefícios da Alimentação Biológica.

Parcerias

  • Junta de Freguesia dos Olivais,
  • Câmara Municipal de Loures,
  • AgricoopBio (acordo de fornecimento com 6 Produtores Biológicos Nacionais).

.

Dowload folhetos de apoio:

Folheto Alimentação Biológica

Folheto Alimentação Biológica nas Cantinas Escolares

Folheto infantil Alimentação Biológica

Folheto Infantil Alimentação Biológica

G MÓVEL

As galinhas poderão não só ajudar a combater as infestantes como também irão permitir rendimentos extra: incorporação de matéria orgânica e produção de carne e ovos biológicos.

[Iniciativa nº 332]

Objetivos

  • Substituir a aplicação de herbicidas pela pastagem de galinhas para controlo de infestantes nas linhas da vinha, hortas e pomares.
  • Melhoria da rentabilidade das explorações através da incorporação de M.O. e da produção de ovos e carne.

Contexto

O controlo de infestantes nas linhas das culturas é uma grande dificuldade e um alto custo para os agricultores que pretendem fazer conversão para Agricultura Biológica.
As galinhas autóctones, muito rústicas, em pastagem confinada por estruturas desenhadas para o efeito, permitem o controlo das infestantes e impedem o acesso à cultura.

Resultados Previstos

  • Redução de obstáculos à conversão para a Agricultura Biológica.
  • Criação de um manual técnico sobre o controlo de infestantes das culturas da vinha, pomares e hortas em Agricultura Biológica, com galinhas Preta Lusitânica.
  • Incorporação do método em pelo menos três produtores.
  • Divulgação do método.

Parceiros

  • AGROBIO
  • António Marques da Cruz
  • BIOPROTEC
  • IPC/ESAC
  • Luís Gonçalves de Sousa
  • Maria de Fátima Torres
  • Quinta do Montalto I e II

ESPUMA BIO

O incremento da produção nacional economicamente viável de vinhos espumantes biológicos contribui para a sustentabilidade ambiental e a biodiversidade.

[Iniciativa nº 331]

Objetivos

  • Obtenção de um espumante produzido exclusivamente com mosto, sem adição de açúcar de cana, e com metade da dose do sulfuroso autorizado.
  • Otimizar a produção através do menor número de tratamentos à base de enxofre.

Contexto

O dióxido de enxofre (sulfitos) é reconhecido como perigoso pela OMS para os consumidores. Por outro lado, os vitivinicultores não sabem como reduzir as quantidades de dióxido de enxofre que utilizam na fermentação e estágio dos seus vinhos sem colocar em risco o processo de vinificação.

Resultados Previstos

  • Pelo menos 40 000 garrafas de Espumante Biológico com menos de 100 mg/L de dióxido de enxofre total.
  • Três produtores de vinhos espumantes com baixo teor de dióxido de enxofre total (sulfuroso, 80 mg/L).
  • Criar um “Manual de Produção do Vinho Espumante Biológico”.

Parceiros

  • AGROBIO
  • BIOPROTEC
  • IPC/ESAC
  • Quinta do Montalto
  • Quinta do Montalto Agroindústria
  • António Sampaio Marques da Cruz
  • Luís Manuel Gonçalves de Sousa

COELHOS BIO

A iniciativa ‘Produção de Coelhos Biológicos’ cria uma nova oportunidade para os produtores nacionais.

[Iniciativa nº 403]

Objetivos

  • Criar um produto novo: coelho biológico de produção nacional.
  • Testar e adaptar este novo modo de produção às condições específicas do nosso país.

Contexto

Portugal tem um grande potencial para a cunicultura biológica, no entanto, a falta de legislação específica, bem como de experiência e divulgação de conhecimentos, fazem com que seja atualmente inexistente a produção de coelhos biológicos no nosso país.

Resultados Previstos

  • Instalar pelo menos uma exploração de produção de coelhos biológicos.
  • Criar um “Manual prático da Produção Biológica de Coelhos em Portugal”.
  • Divulgar o método de produção biológica de coelhos junto de outros cunicultores.

Parceiros

  • AGROBIO
  • BIOPROTEC
  • IPC/ESAC
  • Quinta do Montalto
  • António Sampaio Marques da Cruz
  • Luís Manuel Gonçalves de Sousa

Biofortificação de tomate para processamento industrial e em modo de produção biológico

A biofortificação agronómica tem sido utilizada para ampliar o potencial de enriquecimento dos teores de nutrientes na parte edível das culturas, com características prolifáticas para a saúde pública.

[Iniciativa nº 6]

Objetivos

Desenvolvimento de tecnologias e produção de tomate naturalmente fortificada em magnésio (para processamento industrial) e em ferro e zinco (em MPBIO, para consumo direto).

Contexto

A deficiência de magnésio afeta 5% da população mundial. Este nutriente é de extrema importância no funcionamento do coração, músculos e rins e participa na regulação dos níveis de outros nutrientes essenciais. Também se apontam problemas fisiológicos para as carências de ferro e zinco.

Resultados Previstos

  • Criação de um itinerário técnico para a produção de tomate biofotificado em Mg, Fe e Zn com elevado padrão de qualidade;
  • Resposta varietal à biofortificação;
  • Determinação de coeficientes de produção/produtividade varietal biofortificado em Mg, Fe e Zn e a consequente rentabilidade económica, considerando o destino final destes produtos.

Parceiros

  • AGROBIO
  • Assoc. de Beneficiários do Roxo
  • Campos do Roxo
  • FCT/UNL
  • INIAV
  • IPB-ESA
  • ISA
  • Quinta do Montalto
  • Quinta do Montalto Agroindústria

O contributo da Agricultura Biológica para a Biodiversidade em explorações agrícolas inseridas em áreas de Rede Natura 2000

Aviso n.º 10006/2020 – Conservação da Natureza e da Biodiversidade — Melhoria do conhecimento e do estado de conservação do património natural

Contexto

A Agricultura Biológica é considerada pelo conjunto de boas práticas agrícolas que promovem a biodiversidade.
A manutenção e o aumento da biodiversidade são indispensáveis para o equilíbrio da Terra, da qual o Homem também depende. Um esforço chave para salvar a biodiversidade passa por reduzir o uso de pesticidas e fertilizantes. Em Agricultura Biológica a proteção das plantas é baseada na prevenção, e como tal procura-se incrementar a limitação natural (favorecendo os auxiliares).

Objetivos

Estudar o contributo da Agricultura Biológica para a biodiversidade em explorações agrícolas inseridas em áreas de Rede Natura 2000.

Parceiros

  • AGROBIO
  • BIOPROTEC
  • IPC/ESAC
  • CUCUMBI

.Resultados

  • Realização do estudo prático na Cucumbi – Exploração em Agricultura Biológica, inserida em área de Rede Natura 2000, sobre a biodiversidade a nível da fauna auxiliar.
  • Elaboração de um curso e-Learning denominado por “Identificação de fauna auxiliar – Explorações agrícolas inseridas em áreas de Rede Natura 2000”.
  • Publicação do Manual “O contributo da Agricultura Biológica para a biodiversidade das explorações agrícolas inseridas em áreas de Rede Natura 2000”.